sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

Não se enervem

Quando fiz 18 anos não fiz questão de ir logo tirar a carta de condução como o resto da população, nem sequer queria. Dizia que não precisava, não me fazia falta e não estava mesmo para aí virada. Mas passados uns dois anos surgiu uma oportunidade de tirá-la a um preço bem simpático e perto da minha faculdade, por isso lá fui eu, mais por insistência familiar do que outra coisa. Nunca gostei muito de conduzir, não me sentia confortável nem confiante, chegando mesmo a passar muito tempo sem o fazer, por medo. Tenho a carta há quase 3 anos e já gosto um bocadinho mais, até porque já tenho um carro só meu, o que faz uma grande diferença. Tirei a carta em Lisboa, por isso já devia estar mais ou menos preparada para o tipo de gente que por aqui circula nos seus bichos de 4 rodas. Mas não estou. Eu sou uma simpática no trânsito, deixo os carros passar, facilito a circulação e nunca apito. Nunca utilizei a buzina do meu carro se acreditam, porque eu aprendi que se deve utilizar apenas em caso de perigo eminente e, felizmente, nunca foi necessário. Mas este pessoal não estudou o mesmo código que eu, com certeza. Apitam por tudo e por nada, não deixam ninguém meter-se, andam coladinhos uns aos outros para evitar que algum malandro lhes passe à frente. Ai minha gente, facilitem, é melhor para todos, evitam-se muitos acidentes estúpidos e não contribuem para o nervosismo geral. Não se chateiem tanto, não gastem as buzinas dos vossos carros e agitem menos as mãos em sinal de protesto. Tenham calma, que esse stress todo faz rugas.

1 comentário:

  1. Ter a carta é realmente uma vantagem, principalmente se acontecer alguma emergência ou se for necessário sair a altas horas. Com o tempo acho que te vais habituando, mais uns aninhos! =)

    Beijinhos,
    http://mrswonderlandby2.blogspot.pt/

    ResponderEliminar