sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

You have to see the collateral beauty

Já foi há umas quantas semanas que fomos até ao cinema ver "Collateral Beauty", em português "Beleza Colateral". Um filme que tem dado que falar, mas não pelas melhores razões. A crítica diz que é um filme estúpido e doloroso de ver. Eu não concordo. Acredito que muita gente o veja como "estúpido", porque na verdade tem algumas questões que ficam por explicar. Só que este não é um filme para ser tão levado a sério nesse sentido. Não é um filme para pensarmos como é que certas e determinadas aconteceram. É um filme para sentir a dor do protagonista e não só. É um filme que me transportou a uma dor que eu não queria voltar a sentir, mas precisava. É uma chapada da realidade, mas também uma rajada de esperança. A mim o filme ensinou-me a ver o outro lado da beleza. Não apenas a parte que dói. Ver a beleza colateral. Aquela que muitas vezes está escondida na escuridão daquilo que sentimos. Ensina-nos uma outra forma de lidar com o amor, o tempo e a morte. E um filme que me faz isso, tem de ser um filme do caraças. Mesmo que seja extremamente estúpido, doloroso e com incongruências que muita gente não consegue ignorar. Mas eu ignorei. E recomendo vivamente.




2 comentários: