domingo, 12 de fevereiro de 2017

Quero voltar a ter um baloiço

Ir viver para uma moradia era um sonho do meu pai. Ele cresceu num monte, com muito pouco, mas tanto ao mesmo tempo. Era uma época em que mal se tinha dinheiro para comer, quanto mais para as mordomias que hoje em dia tomamos como garantidas. Mas ele — e os seus 4 irmãos — tinham muito espaço para correr, animais para conhecer e ar puro para aproveitar. Por isso, durante os cerca de 15 anos que vivemos todos juntos num apartamento, era vê-lo constantemente à procura de uma moradia para nos mudarmos. Até que a encontrou. E lá fomos nós. Não vos consigo explicar o que é viver assim, mas eu adorei (adoro). E foi mais ou menos nessa altura que o meu pai nos apareceu lá em casa com um baloiço. Um sofá-baloiço, sabem? E se vocês soubessem o quanto eu gostava dele... Era ver-me horas a fim lá deitada, a baloiçar. Sozinha, com amigas, com o meu pai, a minha mãe, a minha irmã, até com os cães e os gatos. Aquele baloiço foi ocupado por tanta gente que nem consigo contá-las. Até que chegou o seu fim. E deixou de baloiçar. Até hoje nunca mais tivemos um novo baloiço. E eu sempre pedi e pedi e pedi... Mas nunca calhou. E eu nunca me esqueci e nunca deixei de o querer. Por isso, um dia destes, hei-de aparecer por lá com um destes debaixo do braço.


4 comentários:

  1. Mas que maravilha... belas memórias.

    ResponderEliminar
  2. É tão bom termos memórias da nossa casa :)

    ResponderEliminar
  3. Um dos meus sonhos é precisamente ter uma casinha para poder ter jardim e um baloiço! :) Acho tão bom viver com a sensação de ar puro, pés descalços na terra, ter animais, poder ter as flores todas que me apetecer e balançar ao fim do dia com um livro na mão. Que bom!

    ResponderEliminar
  4. Acho que é uma excelente aquisição ;) também gostava de ter tido um... E é verdade, quem cresce assim, com essa liberdade, não se consegue habituar às limitações espaciais de um apartamento.

    ResponderEliminar