sexta-feira, 7 de outubro de 2016

Saudades da escola?

Quando estava a estudar toda a gente me dizia: aproveita enquanto podes, porque vais ter muitas saudades. E eu pensava que sim, que ia ter saudades de ter horários diferentes todos os dias, de ter muito sono de manhã e simplesmente faltar às aulas, das aulas onde não ouvia uma única palavra que o professor dizia e passava o tempo todo nos meus pensamentos. Dos almoços com os colegas e jantares. Até das noitadas a fazer trabalhos de grupo até quase não ter comboio para voltar para casa. Eu até acreditava. Mas depois tinha aqueles momentos em que só me apetecia parar de estudar, estava farta dos exames e das confusões da turma, de tanta gente junta, dos transportes públicos a horas incertas e um horário todos os dias diferente. Mas sabia que ia ter saudades de me vestir como bem me apetece e das férias infinitas. No último ano da Licenciatura eu já só queria trabalhar, estava mesmo farta da faculdade. Tirei a carta, comecei à procura de emprego, mas de forma ainda despreocupada. Não tinha muito tempo para trabalhar, mas tinha vontade. Tinha dias com aulas das 8h às 20h, e umas 6 horas livres pelo meio. Sabia que um horário das 9h às 18h me iria agradar mais. Quando acabei a licenciatura aproveitei muito bem as férias de Verão, foi o ano em que mais viajei, pelo país e fora dele. Gostei muito. Mas admito que as saudades dos tempos de faculdade não voltaram a aparecer. Nem quando tive a estúpida ideia de tirar uma Pós-Graduação (no ano passado). A única coisa que sinto mesmo falta é das férias grandes, porque desde que comecei a trabalhar há 3 anos ainda não consegui ter muitos dias de férias, posso até dizer que há mais de um ano que não tenho férias “a sério”. Tudo o que consegui foi tirar uns míseros 2 dias este Verão. Mas de resto não sinto falta de nada. Posso vestir-me como bem me apetece neste emprego que tenho, e que gosto tanto. Tenho muito mais coisas para fazer, sem dúvida, e o meu dia de trabalho raramente acaba às 18h. Mas tenho uma liberdade diferente, uma responsabilidade maior, claro, mas já não há aquela insegurança de saber que terei uma nota em cada página que escrever.

{Mas também vos digo que podia ter um bocadinho menos de trabalho e mais tempo livre que não me importava nada.}

2 comentários:

  1. No último ano do mestrado, é a primeira vez que não tenho exames... E só esse pensamento me alegra o suficiente para não pensar em estudar nos próximos tempos!! (apesar de saber que isso vai possivelmente voltar a acontecer)

    ResponderEliminar
  2. Sempre gostei da escola mas nunca de estudar. Nem pensava sequer em tirar um curso superior. Depois entrei na faculdade e foram os anos mais stressantes da minha vida. Claro que há muitas coisas boas de ser estudante e a flexibilidade de horários, a "pouca responsabilidade" e o poder faltar ou deixar para amanhã algum trabalho são coisas que na vida de adulto não dá para fazer. Sinto saudades das férias mas, de resto, não sinto falta de nada. Não que esteja agora numa fase muito melhor, mas só saber que não tenho exames nem teses nem nada dessas coisas stressantes já me deixa feliz.

    No meu ano de finalista andei feita parvinha a chorar pelos cantos, que vou deixar de ser estudante e vou ter muitas saudades e mimimi. Pois sim! Ainda ontem passei pela minha faculdade e disse ao meu namorado "Não tenho saudadinhas nenhumas disto aqui!". Nem da faculdade, nem de estudar, nem das pessoas da faculdade, nada. Só quero seguir com a minha vida... Arranjar trabalho, essas coisas.

    ResponderEliminar