quarta-feira, 1 de junho de 2016

Como o conceito de beleza mudou

Marilyn Monroe em 1962, quando o conceito de beleza e elegância estava muito longe de ser o que é hoje. Ontem deparei-me com estas fotos tiradas para a Cosmopolitan e fiquei mesmo estupefacta. Porque achei logo que ela estava (era) linda. Depois cheguei a esta conclusão de que as coisas efectivamente mudaram e fiquei com um bocadinho de pena.



7 comentários:

  1. Hoje, beleza é ser só pele em cima do osso

    ResponderEliminar
  2. Principalmente na última foto dá para perceber que ela não era, nem de longe, aquilo que hoje em dia se considera "modelo". Se fosse hoje, seria apelidada de plus size. O que é uma completa estupidez. Tem um ar saudável, bem feito e, acima de tudo, feliz. Isso deveria ser suficiente. Mas não, hoje em dia isso não é que chegue: é preciso ir-se ao ginásio 3x por dia, 7 dias por semana, restringir a alimentação porque meninas não comem muito e ainda fazer mil e uma tretas aos cabelos, tratamentos de pele e para a celulite, unhas... Não digo que as pessoas não devem tratar de si (claro que devem!) e devemos ter cuidados com o nosso corpo. Mas desde que estejamos saudáveis e felizes no corpo que temos, para que é que precisamos de ter o corpo igual ao da Sara Sampaio, por exemplo? Já não há respeito pelos biótipos. Temos todas que ter um corpo igual, com as mesmas medidas. Isso é impossível, mas há quem lute por isso a vida toda. Não é à toa que há cada vez mais pessoas a serem diagnosticadas com perturbações do comportamento alimentar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo totalmente com a tua visão. Tenho muita pena que as coisas tenham mudado tanto neste campo, porque ela (e tantas outras) eram lindas e tinham um corpo óptimo sem ser todo tonificado e magro. Não é que ser magra seja mau, ou musculada, ou gordinha, ou simplesmente assim, como ela era. O que importa realmente é que cada um se sinta bem no seu corpo. No entanto, sinto muitas vezes uma pressão enorme para ser magrinha, tonificada e sem um pingo de celulite. Na maior parte das vezes não me importo com isso. Mas custa sentir essa pressão, porque parece que todas temos que querer ser iguais e "perfeitas". E eu, pelo menos, não faço muita questão.

      Eliminar
    2. A questão é mesmo essa: mesmo não nos sentindo na necessidade de sermos mais magras ou tonificadas, mesmo sentindo-nos bem connosco, há sempre essa pressão. É algo que os outros esperam de nós e que nós depois vamos esperando de nós mesmas.

      Nunca fui de me preocupar muito com isso. Sempre fui uma miúda normal, com carnes. Nunca fui magra mas também nunca fui gorda. Neste momento estou com mais peso do que devia para a minha altura e sei que, pela minha saúde, tenho que emagrecer (uns 5kgs, talvez). Não é uma coisa do outro mundo, mas não me sinto bem como estou, não só porque já me senti muito mais hábil e com mais resistência, mas também por essas pressões. As pessoas estão sempre "estás mais gordinha", "tens que emagrecer". Tenho o caraças! Tenho porque quero, porque preciso de me sentir melhor comigo mesma, porque é da minha saúde que se trata e não porque a sociedade diz que assim tem que ser. Ninguém está preocupado que eu possa desenvolver problemas de saúde por causa destes quilitos a mais... estão mais preocupados com as minhas formas, com a anca mais larga, com um pequeno pneuzito na barriga. Como se eu (e todas nós) vivêssemos pura e simplesmente para agradar aos outros, para ser um "eye candy". Acho que nem passa pela cabeça das pessoas que haja alguém que goste, simplesmente, de ter mais carne. Porque sim, há pessoas que simplesmente gostam de se ver com mais peso do que quando estão magras.

      Enfim, vivemos nesta ditadura da beleza que, muitas vezes, impomos a nós mesmas. Sem pensarmos que estamos bem como estamos. É preciso amar quem somos, como somos. O corpo é só a embalagem. Tem que ser cuidado, sim. Mas um corpo feliz não significa só vestir um 34. Eu sou muito feliz num 38. E sim, acho que sou bonita na mesma, comparada até com muitas amigas que vestem menos e pesam menos que eu. Beauty is a state of mind! :)

      Eliminar
    3. É por causa dessa tua maneira de ser que gosto de ti e nem te conheço pessoalmente. Principalmente porque és muito parecida comigo :) também tenho essa atitude, estou-me sempre nas tintas. Porque por mais opiniões que oiçamos, no fim nós é que sabemos. E essa mania de toda a gente pensar que temos de ser magras a esbeltas irrita-me profundamente. Eu até me sinto melhor quando não estou super magra, mas isso pode parecer estranho para a maioria das pessoas... Enfim! Beauty is in fact a state of mind :)

      Eliminar
    4. Deve ser uma coisa de Marisas esta empatia :)

      Eliminar
  3. Um icone de beleza intemporal. Agora realmente ha pressão para ter o corpo "perfeito", quando o objetivo deveria ser saudável, independentemente do tamanho, porque isso depois acaba por se reflectir no corpo
    Blog

    ResponderEliminar