quarta-feira, 30 de março de 2016

Estar desempregada

Como saberão os mais atentos, fiquei desempregada há cerca de dois meses. Nunca tinha estado nesta situação, visto que desde que comecei a trabalhar em 2013 sempre tive trabalho, felizmente. O último emprego que tive foi, sem dúvida, o que mais gostei. Adorava o que fazia, o sítio, as pessoas, sentia-me verdadeiramente em casa. Não, nem tudo era perfeito, mas gostava realmente de lá estar e queria ter continuado. Mas a vida mete-se à frente, assim como a conjectura actual do país e pronto, tive de sair. Foi realmente difícil, já aqui tinha partilhado convosco. Fiquei em baixo, custou-me mesmo muito, mas levantei-me e bora lá, que a vida continua e para a frente é que é caminho. Comecei então a busca por um novo emprego, porque apesar de ter muito com que me entreter com a pós-graduação e mil outras coisas, eu gosto mesmo é de trabalhar. Tenho enviado currículos e ido a algumas entrevistas. A parte das entrevistas custa um bocadinho, porque sou naturalmente tímida e é difícil falar de mim com alguém que não conheço, mas penso que acabo por me adaptar. Mas o mais complicado é ver os dias a passar e nada a surgir. Esta espera interminável por que algo de bom aconteça. Não perco a esperança, até porque a minha irmã está mais ou menos na mesma situação e tenho de lhe dar força. Estamos juntas nesta luta. Nós as duas e muitas outras pessoas, algumas com certeza desse lado. As coisas demoram tempo, mas acredito que algo irá surgir. Força para todos os que estão nesta mesma situação e estejam à vontade para partilhar as vossas histórias e dicas espectaculares para esta luta tão difícil.

12 comentários:

  1. Força, espero que consigas encontrar um trabalho o mais breve possível ! :)

    ResponderEliminar
  2. Muita força e muitos pensamentos positivos, para que atraiam coisas positivas! :)
    Força porque vão conseguir! :D

    ResponderEliminar
  3. Levei muito tempo a conseguir este 1º emprego/estágio a tempo inteiro. Já por aqui andava a part-time, tanto havia trabalho demais como de menos. Inscrevi-me em mil sítios, supermercados e tudo mais e nunca chegava resposta, mesmo que fosse um redondo não. Não desistas!

    ResponderEliminar
  4. A vida às vezes prega-nos partidas...
    trabalho já há 20 anos e pela 1ª vez vi-me impossibilitada de o fazer (ganhei um pé partido).
    Há já dois meses que estou em "prisão domiciliária" e custa-me muito...
    Sei que é temporário e que tudo se há-de recompor. Tal como no seu caso. Não desista. Procure que alguma coisa vai aparecer. Boa sorte ;)

    ResponderEliminar
  5. Muito sorte, vais ver que vai aparecer uma boa oportunidade para ti.

    beijinho

    osmeustelhados.blogspot.com

    ResponderEliminar
  6. Força! Vais ver que algo vai surgir! Eu quando terminei o curso também estive 6 meses sem trabalhar, e depois surgiu alguma coisa!

    ResponderEliminar
  7. Não desanimes, é normal que quando uma pessoa gosta de trabalhar e de estar ocupada, estes períodos são mais complicados.
    Eu também estou desempregada e já há algum tempinho(um ano...), mas o truque é não desanimar e ter sempre projectos na manga. O teu blog é um bom exemplo disso :)
    Quanto às entrevistas, eu compreendo-te a 100%. Também eu, sendo um pouco mais introvertida, tinha muita dificuldade na hora das entrevistas, mas com o passar do tempo e com a experiência, torna-se mais fácil. Quantas mais fores, mais fácil e mais à-vontade irás ficar.
    E vais ver que rapidamente voltas ao trabalho :) Vai correr tudo bem, quanto menos esperares já trabalhas :)
    Beijinhos :*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, é mesmo complicado principalmente quando se gosta do que se faz. Eu adorava o meu emprego e gosto mesmo de trabalhar. Adoro ter uma rotina e ter coisas para fazer. Mas pronto, algo há-de surgir :) Por agora vou-me ocupando com a pós-graduação e outras coisas, por acaso acho que tenho sempre mil coisas para fazer!

      Eliminar
  8. Apesar de ter um trabalho, não é na área e quero muito sair. Considero-me desempregada porque todos os dias procuro trabalho na área e nada. O pior mesmo é enviar mil currículos por dia e nem sequer ser chamada para entrevistas. Isso sim, torna-se frustrante. Ou quando me dizem "o seu currículo fica na base de dados, para uma eventual vaga" que nunca mais surge. Não ter respostas ainda é pior. Olha, enfim, é uma luta diária contra o tempo e a frustração. Chega a tornar-se deprimente e mal posso imaginar o que passam as pessoas que nem um part time têm, como eu tenho. Ficar em casa simplesmente à espera não dá!

    Espero que a sorte esteja do nosso lado!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como te percebo... É bom trabalhar, mas não fazer o que gostamos ou o que queremos é muito frustrante e difícil. A espera também é o que me custa mais. Envio tantos currículos e a maior parte não tem sequer uma resposta, além de que tudo parece demorar séculos neste país... Força minha homónima! Algo bom vai aparecer :)

      Eliminar