sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Avós

Neste dia, há 4 anos morreu o meu último avô. Tive a sorte de conhecer todos os meus avós, mas o azar de os perder demasiado cedo. Perdi a primeira avó aos 9 anos, uma história que até já contei aqui, quando vos falei do dia em que fui ao casamento dos meus avós. Depois, aos 19 anos, em 2010, fui até Itália para a final de um concurso em que participei e foi quando lá estava que perdi mais dois dos meus avós. Avó materna e avô paterno, causas completamente diferentes e distantes uma da outra. Perdi um num dia e outro no dia seguinte. Uma coincidência enorme, ainda dizem que não existem. Eu estava em Itália e foi um choque enorme, como podem imaginar. No dia 29 de Janeiro de 2012, um Domingo, estava o meu pai no Alentejo a ver o meu avô quando ele faleceu. Já tinha 87 anos e um desgosto enorme por, cerca de 1 ano antes, ter perdido a minha avó. Morreu o meu último avô e ficou um vazio enorme, deixado pelos quatro, avós que gostei tanto, que acompanhei sempre que consegui. Foi também esse o único funeral a que fui. É nestas alturas que gostava de acreditar naquilo de irmos todos para um sítio melhor. Era tão mais fácil.

3 comentários:

  1. Eu só conheço 3 dos meus avós, sendo que com o meu avô não tenho qualquer relação (nem conta). Atualmente tenho apenas a minha avó materna, que espero que dure muitos e muitos anos. Perdi a minha avó paterna quase há 2 anos.

    ResponderEliminar
  2. Conheci todos os meus avós e adorava-os mais do que tudo neste mundo. Todos os 4. Fui perdendo e sinto tanta falta de cada um deles...apesar de já terem partido há muitos anos 3 deles...é hoje o dia que não consigo falar deles ...escrever é mais fácil mas falar não, não consigo! Sinto tanta falta de ter um avô e uma avó...:(

    ResponderEliminar
  3. Eu já só tenho os avós da parte da minha mãe e não me dou muiiito bem com eles histórias complicadas). Os pais do meu pai morreram há 13 anos. Um em Janeiro e o outro em Novembro. Eu era pequenina, ainda tenho algumas recordações deles, mas gostava tanto de os ter conhecido melhor, de ter lidado mais com eles (isto porque a minha família é do norte não estou sempre perto). Gostava muito que as coisas tivessem sido diferentes e posso dizer que sinto mesmo saudades e injustiça terem partido tão cedo... Tenho medo de com o tempo perder as únicas memorias que tenho deles... Beijinhos para ti*

    ResponderEliminar