segunda-feira, 16 de março de 2015

São bichos são

Ao observar os meus cães apercebo-me, cada vez mais, que eles não estão assim tão longe de ser como as pessoas. Como sabem (ou deviam saber) tenho 5 cães. Eles estão sempre juntos, todos os dias, a toda a hora. Mas acham que é por isso que são inseparáveis e os melhores amigos do mundo? Desenganem-se. Tenho duas cadelas - a Puca e a Nina - que se dão mal como tudo, elas têm uma implicação tão grande uma com a outra que até custa a crer. De vez em quando, é vê-las a rosnar e, ainda mais de vez em quando, a atirarem-se uma à outra. Não se magoam, porque são as duas pequeninas, dando razão à máxima "mete-te com alguém do teu tamanho". Depois tenho a minha labradora que é um amor de bicho, uma querida para toda a gente que conhece, incluindo para os irmãos cães (e gato). Mas o Salvador, o único cão (macho, entenda-se), é um bruto para ela. O que chega a ser engraçado, visto que ele tem um terço do tamanho dela. Ele é muito possessivo com a comida e um chato, passa a vida a correr atrás dela e a morder-lhe as patas. Mas ela adora-o. Por fim, a Aurora, uma espécie de ovelha, dá-se bem com toda a gente e é super amorosa, mas é demasiado mimada e snob. Por isso, quando já tiverem uma vasta experiência com bichos, muitos bichos, venham cá dizer-me o quão diferentes eles são de nós. É que eu começo a achar que, na verdade, somos todos bichos.

Vamos a apresentações:
 A Maisie já conhecem. É um labrador puro que eu adoptei com dois meses, tem 2 anos, é a mais nova e o amor da minha vida. Um dia conto-vos a história deste amor.

 Aqui está o resto da matilha, da esquerda para a direita: Aurora (4 anos), Salvador (5 anos), Nina (6 anos) e Puca (8 anos). A Nina é a mãe do Salvador.

Puca, arraçada de Pinscher.

Aurora, arraçada de Bichon Frisé.

A Nina é um Pequinês e a sua "dona" depois de a comprar decidiu que já não a queria. Aqui está com os seus dois bebés, o da direita é o Salvador.

O Salvador a ser mau para a Maisie.

O gato Baltasar e a Maisie.

Salvador, Nina, Maisie e Puca, nas escadas que dão para o terraço.


Todos os meus bichos foram adoptados, quase todos quando ainda eram bebés (excepção para a Nina). No entanto, não tenho nada contra quem compra animais, simplesmente nunca o fiz. O mais importante de tudo é que os tratem bem durante toda a sua vida.

2 comentários: