sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

Je suis Charlie

Eu não ia escrever sobre isto, mas a verdade é que é impossível ficar indiferente ao horror que aconteceu em Paris. Eu pensei em ser jornalista, escrever é o que sempre gostei mais de fazer e essa seria uma escolha óbvia, mas quando fui para a faculdade já se falava muito nos "males" dessa profissão - sendo que os jornalistas são os primeiros a dizê-lo. Claro que o que acontece por cá nada tem em comparação com o que aconteceu, mas é de notar a enorme tristeza de todos os jornalistas, humoristas e outros profissionais da área. A liberdade de expressão é aquilo que faz de nós pessoas do século XXI, indivíduos de países desenvolvidos e a viver numa república. Temos o direito intrínseco à liberdade - em todos os sentidos da palavra. E estes ataques (e outros anteriores) só nos fazem ver que afinal não vivemos todos no mesmo mundo. Digam o que disserem, argumentem o quanto quiserem, mas absolutamente nada justifica o que aconteceu. O humor é mais uma das coisas que nos distingue dos outros animais, ou é suposto, e pessoas que só sabem argumentar com armas nas mãos não têm sequer o direito à condição humana. É muito triste que haja sempre alguém que se sente melindrado por alguma coisa que temos para dizer.
Se nos tirarem o direito à palavra, o que é que nos sobra?

1 comentário:

  1. Que excelente reflexão.
    É tão triste ver e pensar nesta situação.

    http://princesasemtiara.blogs.sapo.pt/

    ResponderEliminar